servidor interno fisico

Equipamentos de Automação Comercial: Servidor Interno

Os equipamentos necessários para automatizar o seu negócio dependem da estrutura operacional dele. Para um bar, restaurante, ou casa noturna, a necessidade de alguns equipamentos acaba diminuindo, enquanto a de outros aumenta.

 

Se o seu negócio for um bar ou casa noturna que vive lotado, pode ser que instalar totens acabe cortando os custos fixos de ter mais funcionários atendendo os clientes e fechando as contas.

 

Para restaurantes, equipamentos de automação comercial voltados ao atendimento ao cliente são mais comuns! Por exemplo, telas de produção, terminais de atendimento, e o sistema de pagamentos TEF são encontrados em diversos estabelecimentos.

 

Como esses equipamentos de automação comercial já existem há um tempo, a tecnologia já barateou muito. Eles são para o negócio o que um painel solar é para uma casa. Mesmo precisando ter um investimento inicial separado para cobrir o custo do equipamento, a economia e acesso à informação ao longo dos meses acaba valendo a pena.

 

Mas, agora que já estamos na mesma página, vou mostrar um dos mais importantes para os negócios, desde os que têm apenas um caixa (em muitos casos, caixa-servidor, que irei comentar mais para frente) até casas de shows com mais de 80 terminais, são os servidores.

 

Os servidores são responsáveis por armazenar os dados, rodar as rotinas de contingência e sincronização entre os terminais, regras de negócios, backups de dados, entre muitas outras funções. Simplesmente dito, para ter um sistema integrado com informações precisas, e em tempo real, é necessário ter um servidor para conseguir guardar todos os dados que a sua operação vai gerar.

 

Aqui a gente te explica a diferença entre os servidores – porque as vantagens de um sistema você já conhece, né! -, as vantagens e benefícios de cada um. Assim, no momento que você estiver recebendo recomendações de equipamentos de automação comercial, você vai saber exatamente o porque aquele é o melhor para você.

servidor interno fisico ou dedicado

Servidor Interno (físico ou dedicado)

 

A mais antiga forma de todos os servidores é o servidor físico, ou servidor dedicado. Existem diversos tipos mas nós iremos focar em aqueles utilizados para sistemas de automação comercial.

 

O primeiro de todos é o caixa-servidor que é, basicamente, um terminal de pedidos, caixa e servidor em um só equipamento. Este tipo de servidor armazena os dados gerados pela operação, enquanto é utilizado para realizar as vendas e tomar pedidos dos clientes, seja ele um computador, tablet ou celular.

 

Este tipo de servidor é o mais dinâmico e barato, e também o menos seguro. Dinâmico e barato por não precisar adequar a infraestrutura do seu negócio para comportar todo o cabeamento e sinais necessários por uma operação maior. Em outras palavras, é só instalar e já começar a usar!

 

Por outro lado, esse tipo de servidor é menos seguro por centralizar tudo em um só equipamento. Desde tomar conta das rotinas operacionais, regras de negócios e armazenagem de dados, como também rodar o sistema de ponto de venda para a operação, ele não consegue priorizar uma ou outra coisa. Isto faz com que o computador tenha uma carga pesada de uso e que, caso aconteça alguma falha com o equipamento, suas informações de vendas e o resto da sua operação ficarão comprometidos.

 

Desde um cliente derrubar uma bebida no computador ou um atendente deixar cair o tablet, qualquer imprevisto desses pode comprometer os dados da sua operação.

 

O segundo tipo de servidor é um simples terminal, ou computador normal e corrente com o qual estamos acostumados. É recomendado que tenha mais memória ram e processador do que o normal, para assim ficar conectado à rede local priorizando as funções mencionadas acima. Lembrando: rotinas operacionais, regras de negócios e armazenagem de dados. Por ser dedicado à essas funções, como também não ter o sistema operacional instalado (no sentido de não poder realizar vendas nele), ele se mantém seguro em um local protegido, para que nada aconteça com ele e, consequentemente, com os teus dados operacionais.

 

As vantagens deste tipo de servidor podem ser resumidas ao baixo custo com o aparelho e melhoria na segurança. No entanto, o baixo custo do aparelho acaba sendo equilibrado com os gastos extras com infraestrutura – cabos de rede ou equipamento wifi. Sem falar em que, caso você acabe deixando o equipamento de lado, pode acabar superaquecendo, dependendo da intensidade do uso e da ventilação do local no qual o equipamento se encontra.

Todos estes tipos de servidores podem trabalhar de forma independente ou em conjunto. Por exemplo, um servidor de gateway no caso de contingência por queda de internet, com o servidor cloud como backup; ou um servidor interno que possui backup mensal na nuvem. Existem inúmeras possibilidades para combinar estes tipos de servidores, adequando a estrutura de armazenagem e processamento dos dados e rotinas da melhor maneira possível para o seu estabelecimento. Cada tipo de servidor ou cada combinação depende da sua operação – se é em um local fixo com terminais, ou um food truck que possui apenas aparelhos celulares – e também tem que ser condizente com o tamanho da sua operação. Consulte seu técnico de confiança para poder saber qual encaixa melhor para seu negócio!

Daniel Silva
Daniel Silva

CMO da OZ Technology, fundador do aplicativo VIAPP, formado em Marketing e Publicidade pela ESPM e especialista em Comunicação pela Stanford. Nativo do México e empreendedor nato, gosta de viajar e estar sempre antenado nas últimas tecnologias e tendências empresariais.

Nenhum comentário

Postar um Comentário

Comentário
Nome
E-mail
Site