servidor profissional

Equipamentos de Automação Comercial: Servidor Profissional

Os equipamentos necessários para automatizar o seu negócio dependem da estrutura operacional dele. Para um bar, restaurante, ou casa noturna, a necessidade de alguns equipamentos acaba diminuindo, enquanto a de outros aumenta.

 

Se o seu negócio for um bar ou casa noturna que vive lotado, pode ser que instalar totens acabe cortando os custos fixos de ter mais funcionários atendendo os clientes e fechando as contas.

 

Para restaurantes, equipamentos de automação comercial voltados ao atendimento ao cliente são mais comuns! Por exemplo, telas de produção, terminais de atendimento, e o sistema de pagamentos TEF são encontrados em diversos estabelecimentos.

 

Como esses equipamentos de automação comercial já existem há um tempo, a tecnologia já barateou muito. Eles são para o negócio o que um painel solar é para uma casa. Mesmo precisando ter um investimento inicial separado para cobrir o custo do equipamento, a economia e acesso à informação ao longo dos meses acaba valendo a pena.

 

Mas, agora que já estamos na mesma página, vou mostrar um dos mais importantes para os negócios, desde os que têm apenas um caixa (em muitos casos, caixa-servidor, que irei comentar mais para frente) até casas de shows com mais de 80 terminais, são os servidores.

 

Os servidores são responsáveis por armazenar os dados, rodar as rotinas de contingência e sincronização entre os terminais, regras de negócios, backups de dados, entre muitas outras funções. Simplesmente dito, para ter um sistema integrado com informações precisas, e em tempo real, é necessário ter um servidor para conseguir guardar todos os dados que a sua operação vai gerar.

 

Aqui a gente te explica a diferença entre os servidores – porque as vantagens de um sistema você já conhece, né! -, as vantagens e benefícios de cada um. Assim, no momento que você estiver recebendo recomendações de equipamentos de automação comercial, você vai saber exatamente o porque aquele é o melhor para você.

Servidor Profissional

 

Se você ainda não confia na segurança que os outros dois servidores podem te proporcionar, pode ser que a paz para a sua consciência seja o servidor profissional (ou servidor dedicado). O servidor desse tipo costuma ser mais caro, por possuir diversos HDs (a parte do computador onde são armazenados os seus dados) e uma tecnologia chamada RAID e SAS.

 

O RAID faz com que os dados sejam gerados e gravados, automaticamente, em diversos HDs ao mesmo tempo. Isso significa que os dados conseguem ser acessados rapidamente (por exemplo, se um dos HDs estiver sendo usado para uma outra função no momento, você poderá acessar os mesmos dados em outro HD, no mesmo servidor), enquanto o próprio equipamento toma conta de outras funções operacionais.

 

Basicamente, a tecnologia faz com que os HDs trabalhe em conjunto como se fossem um, utilizando a performance de todos ao mesmo tempo na escritura e leitura de dados. O problema é que, se um dos HDs acabar corrompido (com algum malware), toda a informação gravada até o momento ficará comprometida. É como se o documento dos dados fosse um prédio, e as diferentes partes gravadas nos HDs, os pilares centrais. No momento que um deles não presta, o prédio como um todo deixa de prestar também.

 

A tecnologia SAS, por outro lado, usa diversos HDs em forma de espelhamento, para assim criar uma redundância e manter os dados mais seguros. Ao espelhar o HD, o sistema grava tudo no HD principal e cria um backup instantâneo em um HD separado. Assim, no caso de algum imprevisto com o primeiro, o sistema continua funcionando normalmente usando o segundo, terceiro, quarto, e assim sucessivamente. O custo e performance dos SAS depende da qualidade e marca do HD. Os mais caros costumam possuir maior capacidade, melhor velocidade e quantidades superiores de discos utilizados para a gravação simultânea.

 

Estas máquinas podem ficar ligadas o tempo todo sem problemas de superaquecimento – contanto que não sejam colocadas dentro de uma gaveta, por exemplo. O ideal é ter uma sala pequena dedicada aos mesmos, com acesso restrito de pessoal, mas com boa ventilação, tanto para entrada de ar fresco como saída de ar quente. As vantagens podem ser resumidas à segurança na armazenagem dos dados, como também performance superior em relação às outras opções. Por esses motivos, o equipamento acaba ficando mais caro do que os outros, acima da média de qualquer outro tipo de terminal.

 

Todos estes tipos de servidores são seguros por estar fisicamente com você, contanto que os devidos cuidados e manutenção sejam realizados. Enquanto mais dedicado e caro o servidor, mais complexa sua configuração e manutenção. No caso do servidor estar dentro da casa na qual a sua operação acontece, você precisará apenas conectá-lo à rede local, e não de internet. Por causa dessa conexão direta com os outros equipamentos da sua operação, o tempo de resposta geralmente é bem curto (dependendo da rede e infraestrutura de cabeamentos ou wifi).

 

Existe também a possibilidade de manter o servidor em outro local, comunicando através da rede com o seu negócio para gerar e armazenar os dados para os relatórios. No entanto, se a internet cair ou acontecer algum problema com a rede, a sua operação pode ficar comprometida. Isso acontece porque, como responsável pelas rotinas operacionais e funções de back-end, a interrupção da comunicação acaba acarretando problemas operacionais nos outros equipamentos. A integridade dos dados ficará comprometida em caso de queda de conexão, e pode criar lentidão no sistema pelas baixas ou interrupções de sinal e velocidade. Todo o administrativo, banco de dados e relatórios estão neste equipamento e é necessário que, para evitar problemas, este servidor seja de um porte de hardware (configuração das especificações) e também infraestrutura de rede condizentes com o volume da operação do negócio.

Todos estes tipos de servidores podem trabalhar de forma independente ou em conjunto. Por exemplo, um servidor de gateway no caso de contingência por queda de internet, com o servidor cloud como backup; ou um servidor interno que possui backup mensal na nuvem. Existem inúmeras possibilidades para combinar estes tipos de servidores, adequando a estrutura de armazenagem e processamento dos dados e rotinas da melhor maneira possível para o seu estabelecimento. Cada tipo de servidor ou cada combinação depende da sua operação – se é em um local fixo com terminais, ou um food truck que possui apenas aparelhos celulares – e também tem que ser condizente com o tamanho da sua operação. Consulte seu técnico de confiança para poder saber qual encaixa melhor para seu negócio!

Daniel Silva
Daniel Silva

CMO da OZ Technology, fundador do aplicativo VIAPP, formado em Marketing e Publicidade pela ESPM e especialista em Comunicação pela Stanford. Nativo do México e empreendedor nato, gosta de viajar e estar sempre antenado nas últimas tecnologias e tendências empresariais.